O TRADUTOR


O quarto, envolto em trevas e irrealidades que pareciam carregar um horrível propósito, tendo como única e eventual fonte de luz os reflexos prateados dos relâmpagos, cortando a noite como se fossem espadas flamejantes junto com a chuva, que se tornara tão intensa que pareciam as lágrimas de mil anjos, começou a girar e girou, velozmente, uma, duas, três vezes, dando a entender que estava se desprendendo da estrutura do hotel, quase me fazendo perder o equilíbrio e cair pela enorme abertura onde momentos antes existira uma janela.


Senti-me erguido no ar, girando no mesmo ritmo que o quarto, até que nuvens escuras começaram a ocupar o lugar de meu raciocínio, apagando todos os pensamentos, anestesiando minha mente e alma até que um único grito, como se fosse uma estrela solitária em busca do brilho perdido, cintilou entre meus dentes:

“O QUE ESTÁ ACONTECENDO?”

A pergunta, tão solitária quanto eu, mais parecendo ser um grito de dor do que um questionamento teve a mesma duração do que um engolir de uma fração de pavor e voltando a tapar a boca para não vomitar, impregnado de pânico irracional, olhando sem acreditar, para as paredes que estampavam horrendas rachaduras, como se estivessem sendo rasgadas em lenta agonia, deixando escorrer a água da chuva respingadas das asas douradas de seres alados que voavam em meio as crenças e misticismos, corri de volta para a cama, tentando escapar da noite que sorrindo malevolamente ameaçava tragar-me.

Contudo a meio caminho de meu ilusório refugio escorreguei e caí no chão encharcado e o vento soprou em meu rosto, cegando-me com páginas de técnicas de tradução para iniciantes. Sem respirar, em agonia extrema, afastei-as com um gesto de mão e tentei levantar, mas minhas pernas tremiam demais, recusando-se a sustentar o peso do corpo.

O novo estrondo, prolongando meus pensamentos de inquietação, como se estivesse revelando a verdadeira natureza da interpretação, soou com tamanha intensidade que me pareceu que o barulho estrondoso estava acontecendo dentro de mim e não lá fora.

Senti o chão começar a rachar aos meus pés e ouvi os azulejos do banheiro se descolando, então o ar se encheu, repentinamente, como se fossem setas incendiárias cintilando em meio á batalha e o som das palavras, soltas, perdidas, forçaram-me a reunir cada partícula ainda restante de esperança e cambalear para cima da cama, mas quando me virei e olhei, com o coração cheio de temor, dentro das sombras negras da noite até então escondidas sob a luz do luar, antes que minha mente pudesse entender o que meus olhos estavam mostrando, deparei-me com dedos imensos e acinzentados, flutuando ao meu redor, ‘coreografando palavras no ar’, corajosamente arriscando formar um contexto ‘lógico com significado coerente’, como se fosse o próprio Beo Wulf digladiando contra a última página, desbotada e ressecada de um antigo livro, tantas e tantas vezes, lido e relido, mas nunca inteiramente traduzido.

Por momentos, que meu cérebro se recusou a dimensionar, o conteúdo do ‘livro’, envolto no mais profundo secretismo, foi ‘narrado’ em minha mente e o conto de que no inicio dos tempos professores, linguistas e estudantes viviam sob a mesma árvore acadêmica e partilhavam o mesmo vazio em seus corações.

Um vazio que nenhuma posse, estudo ou conhecimento podia preencher, criou imagens com tal intensidade que me foi impossível não acompanhá-las.

Sentindo a força de cada palavra, eu ‘escutei’ a lenda de que um dia, o homem sonhou em comunicar-se com todos os seres do planeta com perfeição e entendimento e para que tal vontade se tornasse realidade, da dolorosa neblina que encobria o mundo das letras, numa era negra, povoada de equívocas interpretações, emergiu um ser mágico industrável, capaz de preencher o coração do conflito e igualar a paixão com a tarefa.

Além das montanhas sombrias do desconhecimento, nas calamidades das trevas das traduções contraditórias, sob o mesmo céu, onde as letras achavam-se a superfície do abismo, sem envolver-se em sentimentos de dúvidas ou erros de interpretação, independente de espaço e tempo, acima do destino e acaso, ele fez única as diferentes linguagens existentes até mesmo nos cantos mais remotos do mundo onde os dialetos imperavam.

Por incontáveis gerações...

You can leave a response, or trackback from your own site.

16 Response to "O TRADUTOR"

  1. BELO BLOG ,DIFERENCIADO,TRANSLÚCIDO E DE BIG CONTEÚDO!
    PARABÉNS!

    VIVA LA VIDA

    Maria... says:

    Obrigada pela visita. Gostei muito daqui e já sou sua seguidora. É muito bom ter acesso a esse blog de conteúdo cultural.
    abraços

    Ola, gostei muito blog e ja o estou seguindo. Aliás, "blogolização" assim nos permite. Estou partipando da promoção.

    Sedamar Esaki
    São Paulo - SP
    BLOGOLIZAÇÃO

    Thank you very much for the compliments to my blog!
    I'm glad you such good impression, they are words that come out of my heart with feeling. Welcome! Stop by my blog anytime you like.A greeting

    Juliana. says:

    Olá LLeal, que ótimo blog,obrigada pelo convite, me sinto honrada por ter sido convidada!
    Realmente as vezes esse sentimento de isolamento nos invade, trazendo inquietude aos pensamentos, movendo dor e ao coração, descaso, mais fica a pergunta será acaso do destino? Ou precisamos destes instantes para a nossa renovação?
    Ah te espero também nos meus espaços - Palavras em vão - Sentimentalidades..Será bem vindo sempre!
    Um abraço afetuoso da Ju ;)

    Dulce says:

    LLeal

    Agradecendo seu convite, vim conhecer seu espaço.
    Um blog bem cuidado e de excelente conteúdo, que pretendo visitar sempre.
    Tenha uma boa tarde e, mais uma vez, obrigada

    Dulce

    b says:

    BOM TER VINDO.
    ESTAREI POR AQUI POR MAIS INSTANTES.
    O TEXTO MERECE MAIS QUE UMA INTERPRETAÇÃO.
    GRATA PELO CONVITE E, VÁ TAMBÉM ME VISITAR.
    1 ABRAÇO E ...
    "good that's in portuguese"...

    Faniquito says:

    Olá !!!

    Bárbaro... profundo, denso !!!

    Adorei seu espaço e virei mais vezes.:)

    Abraços

    Ana

    Este comentário foi removido pelo autor.
    segredos says:

    Delirante a viagem que faço neste Blogue. Apraz-me sentir a força que encontro nas palavras que vou sintonizando com a minha mente, a cada passo que dou Pelos Caminhos do "Tradutor", que me leva a enriquecer o prazer linguístico desta conjugação feita Poesia .

    Serei um seguidor deste espaço de enorme poder linguístico.
    Deixo um Abraço e,

    O agradecimento pela visita ao meu Blogue eo convite à "entrada" ... neste espaço maravilhoso.

    Este comentário foi removido pelo autor.
    Este comentário foi removido pelo autor.

    ♥      ♥    ♥      ♥
         ♥     (')=(')   ♥    ♥
      ♥    ♥   (=';'=) ♥   ♥
    ♥==================(,,)♥(,,)==============♥
     

    Oieeee!

    vim conhecer o seu blog!
    ele é d+!!!

        亇єŋђα υм óтίмo Fim de Semana!
            乃єίנίŋђσѕ

    ======================================

    Olá amigo! Em atendimento ao teu convite, vim conhecer o teu belo espaço. Gostei e prometo que voltarei com mais tempo para melhor apreciá-lo.

    Abraços e um ótimo final de semana.

    Furtado.

    Sandra says:

    COMO É BOM TER VOCÊ SEMPRE BEM PERTINHO DE MIM. FICO MUITO FELIZ.
    A CURIOSA SE SENTE MUITO ORGULHOSA EM CONTAR CONTIGO SEMPRE EM MEUS BLOGS..
    DE CORAÇÃO AGRADEÇO O SEU CARINHO E PRESENÇA.
    A AMIZADE É O SIMBOLO QUE NOS UNE NESTE UNIVERSO VIRTUAL.
    MUITO OBRIGADA PELA SUA AMIZADE.
    SOU MUITO FELIZ EM TER VOCÊ PERTINHO DE MIM..
    SEJA SEMPRE BEM VINDO.
    ADORO QUANDO VEM.
    UM GRANDE ABRAÇO E UM FELIZ FINAL DE SEMANA.
    ATÉ MAIS,
    SANDRA

    CONTO COM O SEU VOTO NA CURIOSA E NA INTERAÇÃO DE AMIGOS. TOPBLOG ESTOU NOVAMENTE PARTICIPANDO. OBRIGADA PELO VOTO E CARINHO

    Sandra says:

    PASSEI PARA DEIXAR UM CARINHO. BELO TEXTO.
    SANDRA

Postar um comentário

Comentários